THE TRUE MEANING OF LIFE - 15 Anos do EP "Advent of the Truth"

Em Setembro de 2004, no extinto Revival Rock Bar, era lançado o EP de estreia. Uma autoanalise de um tempo especial.



Hoje me dou ao luxo de falar de um trabalho que nem sempre me agradou, mas que, com o passar do tempo foi me surpreendendo e me enchendo de orgulho, ainda mais pelo que conseguimos fazer, de forma independente, numa época onde a era da gravação digital estava começando (estávamos aprendendo a mexer no Protools).

Me reservando a falar somente de mim especificamente desta vez, sem ser narcisista ou "achado",  como queiram, porém, fazendo uma análise fria sobre minha performance há 15 anos, chego a conclusão que estava no auge da minha voz e criatividade nesta época. Esta "boa fase" da minha capacidade vocal, eu costumo considerar o período entre 2003 e 2010 e, curiosamente, ou infelizmente, neste ínterim, gravei apenas este EP.

Ouvindo o "Advent of the Truth" hoje, fico impressionado com o que eu conseguia fazer e imaginando quanta coisas mais poderia ter feito, e até, crescido como artista. Obviamente que o trabalho não se fez sozinho, estávamos todos em uma ótima fase. O Tiarli Chedid tocando batera pra caramba, Josué Baciqueti no ápice de sua técnica no baixo, Maurício Pezzi, ainda um garoto de menor evoluindo nos teclados junto com a gente e o grande Tiago Della Vega cada vez mais monstruoso em sua forma peculiar de tocar guitarra. Ou seja, estava rodeado de ótimos músicos e, o principal, ótimos seres humanos e isso era inspirador.

O que me ajudou muito na época também, foi o fato de estar tocando numa banda cover paralela chamada NIGHTFALL. Uma banda desafiadora em todos os sentidos, já que fazíamos muitos shows e com um repertório que, apesar de ouvir muito, não estava acostumado executar. Tocávamos Judas Priest, Halford, Bruce Dickinson, Ozzy Osbourne, Iron Maiden,... mas \só as "pedreiras" dessas bandas e isso me forçou a estudar e evoluir, consequentemente, na minha banda autoral também.

Na época em que foi lançado, a banda tinha mudado o nome de The True para Fermatha, depois, com a extinção da banda para se tornar um projeto, mudei novamente o nome para The True Meaning of Life e ainda lancei mais um álbum de forma independente, o "The Gates of the Lost Paradise" (2013). Mas, o projeto se encerrou em 2018, exatamente 20 anos depois de sua criação. Poderíamos ter feito mais? Eu podia ter feito mais?... Talvez... O fato é que nunca tive(mos) muitos recursos. Neste Link tem mais detalhes sobre a história na época. Ao menos ficou este registro, de uma época mágica, de uma fase musical muito boa, que não sei se se repetirá no futuro, mas que posso estar contando os "aniversários" com orgulho. Rumo aos 20 anos...

A quem leu, muito obrigado pela paciência e, pra quem quiser ouvir, tá aí: